Não sei não escrever

Mais ou menos em Junho, em preparação para o sabático, fui deixando de postar online nas redes sociais (mais especificamente no instagram, onde era mais assídua). Numa primeira fase, desinstalei as aplicações e deixei mesmo de consultar. Dei comigo a pegar de forma instintiva no telemóvel, e a não ter nada para ver. Foi difícil, a sensação era que tinha deixado de existir e de de ter acesso ao mundo real.

Com o tempo, habituei-me a não receber feedback do que colocava, que na maioria dos dias era um feedback positivo, mas também deixei de sentir oscilação de sentimentos. Sei que isso está estudado, a quantidade de hormonas /adrenalina / outras coisas acabadas em “ina”, whatever, que são activadas nesta interação. E eu sentia esses mecanismos a acontecer dentro de mim, que com a minha retirada deixaram de existir dessa maneira, e isso acabou por ir sabendo bem.

Ao fim de algum tempo, voltei a consultar o instagram mas sem postar. Mas em vez de ficar à mercê do mural principal, passei a consultar as pessoas que quero ver. Sinto-me uma espécie de fantasma que vê mas não interage, mas deduzo que não haja uma forma certa de estar – talvez possa ser encontrada uma maneira equilibrada para quem quer estar. E isto deve variar de pessoa para pessoa (embora demasiada frequência nunca seja bom sinal).

Ao mesmo tempo, é rara a semana em que não recebo alguma mensagem de “desconhecidos” a perguntar se está tudo bem e quando vou voltar a escrever. Isto deixa-me sempre a pensar qual é o meu lugar e papel nestas coisas todas.

Eu não sei não escrever. Talvez essa seja a afirmação mais abrangente de toda a minha vida, desde que o sei fazer. Muita coisa mudou em mim no meu crescimento, menos isto. Não sei não tomar notas, não sei não registar. Não sou uma escritora nem tenho essa presunção, mas escrever é o meu verbo de acção preferido no que toca a gostos pessoais (fotografar, também).

Enquanto reflicto nestas coisas todas, é incontornável concluir que tem sido através dos meus registos que Deus mais me tem usado para abençoar outros, e que poderá continuar a usar.

Só preciso descobrir qual a medida certa.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.