Olá, Novembro.

Chegou Novembro, o nosso último mês completo aqui deste lado. Olhando assim de relance, parece-me que Outubro passou mais rápido que os restantes meses, ou então deve ser apenas de estarmos acostumados a este ritmo americano.

Ainda ontem falava com o Tiago sobre o nosso regresso e das coisas boas que gostaríamos de levar, ainda são algumas. Inevitavelmente, agora penso mais como será o regresso ao nosso lar, aos sítios onde pertencemos, voltar a ver o mar, rever os que amamos.

Nas minhas orações antes de vir, pedia a Deus que nos desse um tempo único em família. Que tivéssemos oportunidade de fazer coisas especiais que em Portugal não podemos, por diferentes razões, que nos unisse no enfrentar do desconhecido, que expusesse as áreas em que precisamos de correcção, e que sobretudo, gozássemos do descanso cheio da presença de Deus. Tem sido isso, mas muito mais.
Deus é bom e sinto-me cheia da sua misericórdia, da sua enorme graça e da sua mão justa e amorosa, que tem exposto as áreas em que preciso melhorar e me tem mostrado ainda melhor o quanto me ama. Nunca imaginei que a dificuldade pudesse ser tão saborosa. Mas é.

Uma das decisões que tomei quando vim, além de me desligar virtualmente, seria que não tomaria a iniciativa para contactar ninguém em Portugal. Iria responder apenas a quem me escrevesse. Isso representou muito silêncio, algum sentimento de solidão – que expôs algumas coisas más em mim também – e, novamente, a presença de Deus, que nunca se ausenta nem tem estados de humor. Habituei-me a largos dias sem ninguém com quem comunicar, a ausência de novidades no geral, e a outros – como no fim de semana passado – em que diversas pessoas se lembram de enviar fotos, vídeos, lembranças.

Outra das coisas que pedia a Deus antes de viajarmos era de que, apesar de podermos ter coisas maravilhosas em família, em momento nenhum nos sentíssemos tentados em mudar de vida. O que nos levou a este tempo fora foi a convicção plena de que é em Portugal que devemos estar, e Deus continua a confirmar isso nos nossos corações. É para lá que queremos voltar. Agora é tempo de aproveitar o que resta e guardar bem guardadinho tudo o que precisamos levar e tudo o que precisamos continuar a trabalhar para que o nosso serviço seja eficaz e honre o nosso querido Deus.
Novembro, está tudo certo. Anda daí.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.