Quem quero eu imitar?

Um prato de lentilhas recorda-nos como Esaú desprezou a bênção da primogenitura, num momento de fraqueza, e confirma aquele dizer que afirma que as pessoas são capazes das piores coisas quando estão com fome. De Esaú, sabemos que estava cansado e que usa o argumento “eis que estou a ponto de morrer”; mais tarde, lemos o episódio de Jesus no deserto, 40 dias sem comer e com a capacidade de dizer não à tentação que o diabo lhe coloca. Que contraste entre estes dois exemplos, não é?
Enquanto regressava da minha cansativa caminhada, ainda em jejum, e a desejar o meu prato de lentilhas, fui levada a estes dois homens e às suas diferentes escolhas. Quem desejo eu imitar?

Esaú em Génesis 25 – Jesus em Lucas 4