Fenómenos

Quando conheci a Sandra, há uns sete anos, vivíamos fases da vida completamente desencontradas. Foi todo um processo, o de eu tentar perceber como receber pessoas na igreja e estabelecer uma ligação quando parece que nada temos em comum. Mas este processo, conduzido por Jesus, aconteceu e foi possível porque é mesmo isso que Deus faz quando cria a igreja: une pessoas que aparentemente não partilham os mesmos interesses, mas que encontram no sangue de Jesus a mesma redenção. Mais do que amizade, tornam-nos família que se ama, ampara e corrige. No entretanto, descobrimos e partilhamos prazeres e dificuldades. E como é difícil e bom.