Domesticidade

Domesticidade. Tenho pensado muito no que isto quererá dizer, aqui no sul da Europa, em pleno século XXI. Cresci com a noção da necessidade de um lar, mas sem saber muito bem como isso se iria conciliar na minha vida futura. Parecia-me que ser mulher bem sucedida e realizada era incompatível com o cuidado de uma casa, no seu sentido mais prático. Não que ter uma casa aprazível fosse opcional, mas encontrar algum tipo de realização no seu cuidado, era algo inconcebível para mim. Não vou mentir, e dizer que o meu íntimo vibra com tudo o que há para fazer, mas tem sido na compreensão do que o todo significa, que tudo ganha mais sentido. Se a domesticidade for limpar casa e fazer comida apenas, torço o nariz. Se a domesticidade for a construção de um lar, com todas as suas variantes, contem com o meu esforço. Este é um assunto a desenvolver, na minha cabeça, e que espero ir conseguindo partilhar convosco de forma construtiva.