Se

“Se eu tivesse isto, a minha vida seria tão mais fácil”.
“Se Deus me mostrasse que ele realmente existe, talvez conseguisse acreditar nele”.
“Se o meu horário não fosse tão complicado, talvez eu tivesse disposição para… “.

É tão fácil viver no “Se…” Vivemos o presente a achar que, com as condições reunidas, seria tudo mais simples. Vivemos convencidos que a vida se aproveita em pleno se não houver doenças, se o emprego for satisfatório e bem remunerado, se os nossos filhos nos obedecerem, se o nosso cônjuge demonstrar como nos ama, se. Se. Se.

O gozo em viver não se encontra na família que imaginámos na nossa cabeça, ou em ter a família como a do vizinho. Não se encontra em ter um corpo saudável ou perfeito, ou ausência de contrariedades. Porque a satisfação em viver podemos encontrá-la no que não muda, no que não pode ser alterado. Em Deus, encontramos o sentido da vida, quando tanta coisa não faz sentido nenhum. Com Jesus, estar em baixo ou estar em alta são vividos com a segurança de que ele está ali, que nos segura e nos consola, que nos ama com um amor que não termina. É no amor de Deus que encontramos o significado de viver e a alegria, em todos os momentos. Porque a vida não é um estado. É Jesus.