Vivemos dias cheios e corridos e quando pensamos em descomprimir, parece que isso colide com conversas sólidas e estruturadas. Isso acaba por transbordar para uma forma de vida que redunda, na minha opinião, em muita superficialidade.

Gastamos o nosso tempo social em muita conversa de circunstância, desgastamo-nos com encontros infindáveis que nos roubam horas de sono, mas tudo bem esprimidinho, não gastamos tempo de qualidade. Divertido, talvez, mas quem disse que diversão é antónimo de profundidade?
A premissa deste livro, apontando para amizades cristãs, é a de que sozinhos não vamos conseguir viver esta vida. E isso significa relacionamentos intencionais, em que nos instruímos, confrontamos e amamos. Este é um livro com princípios (exercícios práticos) acerca dos relacionamentos, da vida em comunidade, e de como podemos crescer, gastando sabiamente o nosso tempo, com maior intencionalidade, que respeite os nossos limites e de forma a que agrade a Deus. Recomendo!