Tradições de Natal

Em 2013 iniciámos esta tradição de, no sábado anterior ao Natal, observar o presépio no Amoreiras, entrar em todas as livrarias e lá ficar a ler livros, almoçar, ir ao cinema e comer gelado. Neste oitavo ano, mudámos a programação para segunda-feira (as restrições da pandemia impediram de ser ao sábado), e fizemos tudo aquilo a que nos propusemos, à excepção de ficar nas livrarias como se de bibliotecas se tratassem (pandemia outra vez a impedir). O Amoreiras continua a ser o único centro comercial que consigo suportar mais do que uns minutos e o presépio continua a surpreender com pormenores, a cada novo ano.

Os chapéus, esses, são herdados da tia Lena e do tio Luís e têm todos mais de 20 anos.