Esta escola não fecha

Entramos em novo confinamento, num Portugal com números a aumentar por todo o lado, incluindo amigos próximos, família, igreja. Deus tem-nos preservado a saúde física, e neste momento fazemos o que podemos para preservar a mental. Vamos em quase um ano de pouca normalidade, com três filhos adolescentes e um outro a querer acompanhar o ritmo. Já não temos brinquedos, sestas, vestidos de princesas ou cowboys. Temos filhos que se entretêm a ler, jogar, a acompanhar uma série connosco e pouco mais.

Numa idade em que importa muito a convivência e diversão com outros além dos pais, esta pandemia não tem ajudado. O que restava nos nossos dias, o ginásio com natação e actividades diárias, também se foi. A companhia dos outros compensa-se com vídeochamadas (e o que eu estou farta de reuniões, formações e tudo online?!).

Esta escola continua aberta, considerando estas coisas todas, para que nos consideremos uns aos outros e confiemos mais em Deus e não em nós mesmos.