Ensinar e testemunhar

Recordo-me de, não há muitos anos, me terem pedido para partilhar algo da minha vida junto de uma geração mais nova, e de eu recusar por acreditar sinceramente que não tinha assim nada de tão importante para dizer. Não havia no meu historial nada de extraordinário ou impressionante que tornasse a minha caminhada digna de ser ouvida (e o que havia de fora de comum eu não queria partilhar). Não estava preparada para isso, porque não compreendia eu que não era tudo acerca de mim, mas muito menos acerca de mim.

Hoje, ensinar é um prazer porque se mistura com a minha vida, tão banal quanto qualquer outra, tão pecadora quanto a maioria, tão agraciada como só podem ser os filhos de Deus. Bem sei que para ensinarmos a Bíblia não precisamos de ter experimentado todos os assuntos, mas também sei que quando já temos algum conhecimento de causa e humildade na aprendizagem, temos o dever de instruir e ajudar quem vem mais atrás. Consola-me a ideia de os que vêm poderem ver e experimentar Jesus de forma plena, ouvindo e decidindo de forma individual. Que o Espírito Santo nos ajude e ilumine a todos. Uma coisa sei: mesmo quando ensino, aprendo. E esta é uma das maiores riquezas das caminhadas que se cruzam.