Demasiados meses depois

Não tenho muito a dizer. São demasiados meses despojados de normalidade, de convivência. Dou comigo a sair à rua e a ter sentimentos de culpa por não voltar imediatamente para casa. Aos poucos, começamos a mostrar os nossos recantos aos que amamos e, dou comigo, a pensar que ainda não é suposto. Cumprimos e criámos um novo normal, que é tudo menos normal. Precisamos reformular tudo isto aos poucos, é urgente. Sinto que chegámos a um limite.